Senador Telmário Mota aluga veículos de beneficiárias de programas sociais do governo

Senador Telmário Mota (Pros-RR) aluga um veículo Mitsubishi Triton, ano 2019, avaliado em R$ 140 mil, de Daura de Oliveira, beneficiária do BPC (Benefício de Prestação Continuada) destinado a pessoa idosa, com 65 anos ou mais, e a pessoa com deficiência de qualquer idade, que comprove não possuir meios de se sustentar ou de ser sustentado por sua família.

A locação de R$ 18 mil mensais é paga com recursos da verba indenizatória do senador. Empresas devidamente constituídas para locação de veículos oferecem pick-ups como a locada pelo senador, por quase metade do valor. Entre abril de 2019 até janeiro de 2021 já foram pagos R$ 383 mil para a locação da Triton, o suficiente para comprar quase três veículos como este.

A título de comparação, Mecias de Jesus, conterrâneo de Telmário e seu colega no Senado, mantém contrato de locação de uma Pick-up Hilux por R$ 12 mil mensais. O veículo está avaliado em R$ 240 mil.

Outro contrato

Em contrato anterior, entre novembro de 2018 e março de 2019, o veículo locado era uma van Jumper, da Citroen, avaliada na época por R$ 70 mil, sendo a locação no valor mensal de R$ 20 mil. Assim como no caso da Triton, a van, que já tinha 5 anos de uso, era propriedade de Marinês Campos Feitosa, pessoa física beneficiária do programa Bolsa Família.

Um raio cai duas vezes no mesmo lugar

Não contente com a resposta dada pelo gabinete do senador de que desconhecia que Marinês era beneficiária do Bolsa Família, o Instituto OPS acaba de acionar o TCU e MPF para que analisem mais profundamente os dois contratos de locação e as coincidências de ambos terem como locadoras, pessoas físicas declaradas hipossuficientes e beneficiárias de programas sociais do governo federal.

O cotão

A verba indenizatória, também conhecida como cotão, é disponibilizada a cada um dos 81 senadores e seu valor depende do estado de origem do parlamentar. No caso de Roraima, Telmário tem à disposição o valor é de R$ 40,7 mil mensais para que sejam utilizados exclusivamente para uso do mandato.

Para ter direito à cota, o senador deve apresentar ao Senado Federal o comprovante de quitação da despesa, acompanhada da nota fiscal ou recibo, e o termo de responsabilidade pela despesa devidamente assinado, afirmando que o produto ou serviço foi devidamente entregue ou executado.

Mais detalhes neste vídeo.

Publicado por Big

Ativista Digital, jornalista, blogueiro, vlogueiro e nas horas vagas, músico .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s